Sindroma do emigrante

06 janeiro 2009



Ja estou de regresso as Holandas e agora ha que mudar o chip. Depois de algum tempo em banho maria por Portugal, de umas ferias a encher a barriga com todas as gulosices da epoca natalicia estou de volta a um pais que nao o meu.
Nestas ferias tive o que intitulo sindroma do emigrante. Foi bom estar em Portugal, mas foi um pouco estranho ver os putos mais crescidos, casamentos de amigos marcados, vidas que continuam e as quais nao acompanhei.
Estava em casa mas faltava-me o meu cantinho holandes.
Estava com os meus amigos mas sentia falta da libertinagem de Haia.
Estava menos frio no termometro mas mais frio na pele.
No ultima dia em portugal estava ansioso por voltar a Holanda mas agora que ca estou ja sinto falta de algumas coisas de la. Ou seja, duas casas, dois grupos sociais, duas rotinas diferentes. Assumo que e' um bom sintoma pois significa que se esta bem em ambos os lados, mas nunca a 100% se e' que esta quantificacao existe.
Reflexoes acerca de desafios futuros, proximos passos a tomar tomam medidas proporcionalmente dificeis ao tempo que estamos fora. Ja me disseram que um ano fora do pais do bom. Mais que dois anos no mesmo sitio e comeca a ser dificil sair pois as raizes comecam a enterrar-se e desprender-nos torna-se penoso. Quando se esta fora comeca-se algo paralelo a tudo o que deixamos. Sentimento estranho que ainda perdura e que requer absorcao.
Talvez seja por ainda estar com o cheiro de Portugal.
Talvez seja porque voltei ao trabalho...e nao queria :)

2 comentários:

  1. vera. disse...
  2. é muito disto ...:
    peter broderick "home"
    http://www.myspace.com/peterbroderick

  3. Pedro Teixeira disse...
  4. Sim, mais ou menos isso....n conhecia o tipo. Obrigado pela tip ;)